Terça, 07 de Julho de 2020 08:26
(88) 9 81453468
Dólar comercial R$ 5,35 0.594%
Euro R$ 6,05 +1.221%
Peso Argentino R$ 0,08 +0.665%
Bitcoin R$ 52.475,01 -0.363%
Bovespa 98.937,16 pontos +2.24%
Boa Viagem Justiça

200 servidores de Boa Viagem são investigados por suposta fraude em auxílio emergencial

Um cruzamento de dados feito pela Controladoria Geral da União (CGU) e do Tribunal de Contas do Estado (TCE), filtrou um número alarmante de servidores públicos municipais e estaduais no Ceará, que solicitaram o auxílio emergencial sem se enquadrar nos requisitos.

12/06/2020 16h36
2.720
Por: Redação
Arquivo
Arquivo

Um cruzamento de dados feito pela Controladoria Geral da União (CGU) e do Tribunal de Contas do Estado (TCE), filtrou um número alarmante de servidores públicos municipais e estaduais no Ceará, que solicitaram o auxílio emergencial sem se enquadrar nos requisitos. Ao todo, 24.232 servidos em todo o Estado foram identificados por não terem o direito de receber o benifício, já que estão empregados formalmente.

 

No Sertão Central, os municípios de Quixadá, Boa Viagem e Quixeramobim foram os que apresentaram mais solicitações irregulares do auxílio emergencial por servidores. Em Quixadá, 340 servidores públicos receberam o benefício e terão que devolver o valor recebido, no município de Boa Viagem foram identificados 200 solicitações ilegais, e em Quixeramobim, a filtragem identificou 186 registros.

 

DENÚNCIAS

Existe a possibilidade de o CPF do servidor ter sido usado por terceiros para a solicitação do auxílio, nesses casos a pessoa afetada deverá denunciar a fraude através do link: https://sistema.ouvidorias.gov.br/…/SelecionarTipoManifesta… .

 

DEVOLUÇÃO

O servidor que recebeu e pretende devolver o benefício, deve solicitar a devolução pelo link a seguir: https://devolucaoauxilioemergencial.cidadania.gov.br/devolu… .

 

"O que a gente destaca na Nota Técnica enviada aos gestores é que o que está sendo apontado é uma possível irregularidade. A pessoa pode de fato se enquadrar na má fé, ter se cadastrado sem fazer jus, ou o caso pode ser fraude, estelionato, alguém utilizou o CPF desse servidor na tentativa de obter o benefício indevido", ponderou o secretário de Controle Externo do TCE, Carlos Nascimento. "Nenhum dos nomes será apontado publicamente. A ideia não é expor a pessoa, é expor o fato", acrescentou.

 

 

PORTAL SERT NEWS - SERTÃO REDAÇÃO

Ele1 - Criar site de notícias