Quinta, 02 de Julho de 2020 10:17
(88) 9 81453468
Dólar comercial R$ 5,28 -0.741%
Euro R$ 5,94 -0.693%
Peso Argentino R$ 0,07 -0.796%
Bitcoin R$ 51.705,64 -0.03%
Bovespa 96.247,78 pontos +0.05%
Boa Viagem Emprego

Fábrica de calçados em Boa Viagem poderá gerar novos empregos em breve, entenda:

Com fechamento recente da fábrica, cerca de 98 pessoas ficaram desempregadas, mas poderão ter nova oportunidade de emprego.

07/06/2020 14h31 Atualizada há 4 semanas
1.339
Por: Redação
Arquivo do site História de Boa Viagem
Arquivo do site História de Boa Viagem

Boa Viagem. A fábrica “Terra Quente Calçados” fechou as portas na última sexta-feira (5), demitindo 98 funcionários. Desde o início do isolamento social, que impossibilitou a continuidade de produção da fábrica, a empresa localizada em Boa Viagem demitiu a princípio sete trabalhadores, somando ao todo 105 colaboradores.

A produção feita pela fábrica era terceirizada da empresa “Sugar Shoes”, cuja matriz fica no Rio Grande do Sul e possui uma filial localizada em Senador Pompeu, que dividia parte da produção com o galpão de Boa Viagem.

Segundo Jaime Schneiders em entrevista ao site Sertão Redação, proprietário da “Terra Quente Calçados”, que justificou o fechamento da fábrica após uma decisão interna da empresa de Senador Pompeu. “Eles - Filial em Senador Pompeu, decidiram cortar o serviço da gente - Terra Quente Calçados, alegando a pandemia como causa da nossa paralisação”. Jaime aponta ainda o corte como uma forma de “diminuir os custos internos”.

A parceria entre as duas empresas existia há mais de dez anos. Jaime vê a quebra de contrato como “injusta”, já que a justificativa usada pela fábrica de Senador Pompeu foi de “cancelamentos de pedidos e redução de produção”. O empresário sugeriu ainda que a filial poderia dividir a produção atual com Boa Viagem, para que “não desamparasse as 98 famílias atingidas”.

FUTURO, REABERTURA E NOVOS EMPREGOS

Sobre o futuro, o empresário conta que negocia com duas empresas que já atuam no Ceará e outras três oriundas de São Paulo, que demonstram interesse em se instalar no Estado. Jaime estima uma produção de mil peças/dia de calçados prontos e acabados ou ainda três mil peças/dia de cabedais costurados. “Nós nos comprometemos com os funcionários de tentarmos reverter, num futuro próximo, essa situação e recontratar os funcionários que tenham interesse em trabalhar novamente, para nossa empresa”, disse Jaime. Revelando também que “a empresa ficará com o maquinário todo no local, aguardando negociações futuras”.

Em abril, a fábrica “Sugar Shoes” de Senador Pompeu, demitiu entre 500-600 funcionários, alegando a paralisação das atividades e a queda de demanda, impulsionadas pela pandemia, como risco de falência.

 

PORTAL SERT NEWS - SERTÃO REDAÇÃO

Ele1 - Criar site de notícias