Sábado, 26 de Setembro de 2020 14:41
(88) 9 81453468
Geral Café e Direito

Quem não chora, não mama

Saiba como solicitar a suspensão dos serviços de internet, TV, telefone e economizar no mês de férias.

08/07/2019 18h58
1.441
Por: Redação
Quem não chora, não mama

Quem desocupa sua residência por mais de um mês, seja viajando de férias ou até mesmo a estudos, por exemplo, pode solicitar a suspensão de alguns serviços, como Telefonia, Água, Luz, TV por assinatura e Internet banda larga.

Se o consumidor ficar mais de 30 dias fora de casa, ele pode pedir a suspensão temporária dos serviços de telecomunicações sem que lhe seja feita a cobrança de qualquer tarifa, inclusive de reativação. Neste caso, é vantajoso, pois trata-se de uma mensalidade a menos no orçamento do mês, e a economia é significativa.

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) por meio da resolução n° 246 de 2005 garante direito ao consumidor de solicitar suspensão temporária de no mínimo e 30 no máximo 120 dias para os serviços de telecomunicações. Pela norma, a empresa tem que suspender o serviço em até 24 horas depois do pedido, e não pode cobrar nada por isso. Vale lembrar que para o seu direito valer, o consumidor não pode ter nenhuma dívida com a operadora.

Os casos de suspensão de água e luz devem ser vistos de acordo com as normas da prestadora de serviço, sendo possível em algumas situações cobranças de taxas de religação. Tendo em vista a burocracia do serviço e a cobrança de taxas fixas mínimas que independem do consumo, a melhor saída pra economizar na conta de água é fechar o registro do domicílio e para diminuir a conta de luz é recomendável l retiradas dos aparelhos ligados a tomada, sempre lembrando que aparelhos em stand by são responsáveis por 12% no consumo mensal.

Ainda que sejam encontrados entraves e problemas por partes das empresas, o consumidor não deve se intimidar e acionar de plano o PROCON da cidade mais próxima, além de notificar o abuso à Anatel e relatar o acontecido no site oficial do governo: consumidor.gov.br.

Fique de olho: Quem não chora, não mama.

 

Por Maikon Cavalcante

(Acadêmico de Direito)

Café e Direito
Sobre Café e Direito
Maikon Cavalcante - Acadêmico de Direito da Unicatólica de Quixadá e Estagiário credenciado a OAB/CE nº 7058-E
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Ele1 - Criar site de notícias