É NOTICIA
TOPO
180 dias

Góis é novamente afastado e pedido de cassação é aceito na Câmara de Pedra Branca

Ex-gestor tem vivido dias difíceis na política Pedrabranquense

10/05/2019 22h17
Por: Redação
Fonte: Portal de Noticia CE
371
Reprodução internet
Reprodução internet
Sertão Central - A câmara de vereadores do município de Pedra Branca, recebeu  um pedido de cassação e afasta do prefeito Antônio Goís.
Com o plenário lotado, nesta sexta-feira (10), o público assistiu mais um capítulo da história política recente do município.

 

 
A ex-vereadora do município Elis Regina,  protocolou no  último dia  8 de maio,  uma denúncia, que envolve superfaturamento de licitações e irregularidades na excursão de obras,  que teria ocasionado  desvio de recursos públicos, calculado em aproximadamente  800 mil reais, praticado pela administração de António Góis, nos anos de 2017 e 2018.
Segundo a denunciante, que também  é secretária de administração da atual gestão, após auditoria realizada pelo governo em exercício, várias licitações foram canceladas, por ter sido  detectada inúmeras irregularidades.  
Após a leitura da denúncia, foi apresentado o parecer  da  comissão de Justiça e Redação, como manda o regimento, onde quatro dos cinco pontos da denúncia foram aceitos.
Logo em seguida,  foi a vez dos outros vereadores votarem,   sendo  acolhida por  12 dos 13 vereadores.

Goís, que já se encontra afastado pela Justiça cearense, pelo prazo de 180 dia, voltou a ser a fastado de suas funções pelo mesmo período, agora  pelo o legislativo municipal.
Escolhidos por sorteio, a comissão processante foi formada com: Célio Lopes como presidente, Juscelino Calíope relator e Josefa Matos secretária. 
Os vereadores tem 90 dias para finalizar o processo e votarem pela cassação ou não do Prefeito Goís.
 
 
 
Ministério Público do Estado do Ceará
 
Antônio Góis é acusado pelo Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), por intermédio da Promotoria de Justiça de Pedra Branca e do Grupo de Combate às Organizações Criminosas (GAECO), de ser um dos principais beneficiados num esquema milionário de fraudes em licitações, culminando no desvio de dinheiro público no âmbito da Prefeitura de Pedra Branca. A denúncia crimecontra o prefeito foi oferecida, no dia 14 de fevereiro deste ano.

À época, também foram denunciados seis investigados de envolvimento no esquema,   empresários,   secretários e  ex-servidores do município. 
As investigações do MPCE remontam aos exercícios financeiros de 2009 a 2013, quando o município de Pedra Branca e a empresa Garra Construções firmaram contratos no montante de R$ 5.411.133,15. O empresário Paulo Franklin de Aragão Rodrigues, proprietário das empresas Garra Construções e Esquadra Construções, teve a prisão temporária convertida em preventiva a pedido do MP.
Entre os anos de 2007 e 2018, a empresa Garra recebeu a quantia de R$ 58.310.113,49 de diversos municípios do estado do Ceará. Até o mês de novembro do ano de 2011, mesmo faturando R$ 14.124.079,26 até o ano de 2010, a empresa não havia registro de trabalhadores em suas informações constantes no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), do Ministério do Trabalho, nem possuía nenhum veículo automotor, como até hoje não registra nada junto ao DETRAN.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Boa Viagem - CE
Atualizado às 04h50
20°
Poucas nuvens Máxima: 34° - Mínima: 18°
20°

Sensação

12.3 km/h

Vento

92.7%

Umidade

Fonte: Climatempo
NUTRITEC
ESCRITÓRIO BRASIL
Animado
Municípios
O melhor Conteúdo II
Últimas notícias
Anúncio
Mais lidas
Anúncio
Anúncio